#ESPM+ Quantificar e tomar decisões

#ESPM+ Quantificar e tomar decisões

News 0 Comment 35

Quantificar e tomar decisões

Publicado em 10 de junho de 2013 às 10:53 | Autor: Fabiano Rodrigues

*juntamente com Cléber Figueiredo

ESPM-SP realiza o II Seminário de Modelagem Quantitativa e reúne especialistas

Na noite do dia 28 de maio, foi realizada a 2ª edição do Seminário de Modelagem Quantitativa na ESPM-SP, organizado em parceria com a StatSoft South America. O evento buscou a integração entre academia e mercado, promovendo a discussão sobre a modelagem quantitativa para a superação de grandes desafios empresariais e tomada de decisões complexas e contou com a presença de palestrantes habituados em traduzir o mundo real em modelos que geram resultados: o diretor de operações da StatSoft South America, Nuno Cruz; o managing partner da Flunger & Company, Rudolf Rosas Flunger; além dos professores da unidade, Roberto Camanho (SideC) e Thomaz Camanho (SideC e AmpliX).
As palestras apresentaram distintas metodologias de apoio à decisão: AHP (Método Multicritério) e Programação Inteira; Text MiningDynamic Systems; diferentes abordagens, mas com objetivos comuns: auxiliar na estruturação e compreensão de problemas complexos, trazer maior “racionalidade” ao processo decisório e melhorar resultados organizacionais.

Roberto Camanho e Thomaz Camanho apresentaram um case para a gestão de uma carteira de projetos em uma empresa do setor elétrico. Como parte inicial da metodologia, elaboraram um modelo de classificação de projetos, gerando ao gestor a análise de alocação de recursos por grupos de projetos.

A sugestão da dupla foi utilizar o método multicritério para priorizar o grupo de projetos especiais estratégicos, que possuíam alta criticidade ou impacto no negócio e alto potencial de geração de mudanças. Em outra etapa, a sugestão foi utilizar metodologia de otimização baseada em programação inteira para priorizar o grupo de projetos de melhoria e renovação, que, por sua vez, consistiam de alta criticidade ou impacto no negócio e baixo potencial de geração de mudanças.

Roberto e Thomaz destacaram que “o processo de modelagem deve contemplar a natureza do problema e o tipo de resposta a ser obtida”. Segundo eles, esse é o motivo das abordagens distintas (Decisão Multicritério e Programação Inteira) para a priorização de projetos em cada carteira (Projetos Estratégicos e de Melhoria/Renovação).

O segundo tema discutido, Text Mining, foi apresentado por Nuno Cruz. Ele destacou o descompasso entre a velocidade de geração de dados não estruturados e a capacidade das empresas em transformá-los em informações úteis ao processo decisório.

Cruz ainda alertou que “a transformação de informação não-estruturada (vinda do twitter, facebook, notícias da mídia, formulário de reclamações, etc) em modelos preditivos coerentes, representa uma vantagem competitiva para as empresas” e mostrou a importância da utilização de ferramentas de mineração de texto, o chamado Text Mining.

Durante o seminário, diversos cases acerca de Text Mining foram apresentados. Um deles mostrou como a polícia de Lisboa conseguiu estruturar uma série de boletins de ocorrência em informação útil para ajudar o Governo Português a compreender qual tipo de informação aparecia ligada a algum tipo de crime. Outro case mostrou como a ferramenta pode auxiliar as empresas a entenderem a percepção das pessoas em relação a sua marca, buscando extrair informação textual que indique críticas ou elogios. Em todos os casos, modelos preditivos foram criados baseando-se em grande quantidade de dados (dezenas de milhares).

Na última palestra da noite, Rudolf Rosas Flunger apresentou o uso de simulação via sistemas dinâmicos, explorado em um caso prático de logística reversa, no qual uma operadora de TV por assinatura necessitava definir a sua estratégia para a troca de tecnologia. O desafio era identificar as necessidades de compra de decodifcadores de diversas tecnologias. Assim, segundo Flunger “foi desenvolvido um modelo de simulação que representava o fluxo de decodificadores dentro do seu ciclo de utilização. Este fluxo é uma caso tipico de Closed Loop Logistics no qual o decodificador é instalado no domicilio do cliente final e retorna em diversas ocasiões.

Flunger destacou que a modelagem via dinâmica de sistemas “permitiu a visualização de distintos cenários ao longo do tempo”. Numa inteface única os executivos tinham a possibilidade de testar diferentes opções de decisões, interpretando seus impactos nos objetivos organizacionais (análise de sensibilidade).

Durante o evento todos os palestrantes enfatizaram a importância do entendimento claro do problema a ser atacado pela modelagem. A definição clara do problema e dos objetivos a serem atingidos é etapa fundamental para o sucesso no uso de modelagem quantitativa.

O debate também indicou os benefícios do uso de metodologias estruturadas para apoio ao processo decisório, não somente pela dimensão técnica e financeira, mas em outras áreas da gestão, como no aumento da aprendizagem dos gestores sobre o próprio negócio, tratamento da incerteza e riscos (parte inerente do processo decisório) e na ampliação do entendimento dos problemas e oportunidades a serem enfrentados.

Esse é um assunto inquietante, quais são os benefícios (não financeiros) associados ao uso de metodologias estruturadas para tomada de decisão? Um tema candidato para o III Seminário de Modelagem Quantitativa. Veja algumas fotos do evento:

See on Scoop.itStrategic Planning and Decision Making

O blog ESPM é uma publicação online da ESPM. Relata as atividades extracurriculares promovidas ou apoiadas pela Escola nos seus campi.

Rudolf Rosas Flunger‘s insight:

Na última palestra da noite, Rudolf Rosas Flunger apresentou o uso de simulação via sistemas dinâmicos, explorado em um caso prático de logística reversa, no qual uma operadora de TV por assinatura necessitava definir a sua estratégia para a troca de tecnologia. O desafio era identificar as necessidades de compra de decodifcadores de diversas tecnologias. Assim, segundo Flunger “foi desenvolvido um modelo de simulação que representava o fluxo de decodificadores dentro do seu ciclo de utilização. Este fluxo é uma caso tipico de Closed Loop Logistics no qual o decodificador é instalado no domicilio do cliente final e retorna em diversas ocasiões.

Flunger destacou que a modelagem via dinâmica de sistemas “permitiu a visualização de distintos cenários ao longo do tempo”. Numa inteface única os executivos tinham a possibilidade de testar diferentes opções de decisões, interpretando seus impactos nos objetivos organizacionais (análise de sensibilidade).

See on mais.espm.br

Be Sociable, Share!

Author

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.

Back to Top